27 de mar de 2015

NOTÍCIAS DA ACADEMIA BRASILEIRA DE HISTÓRIAS EM QUADRINHOS!

A AQC reafirma o apoio a ABRAHQ, no sentido de promover todo e qualquer esforço na defesa das HQs brasileiras e preservação da nossa memória. Não achamos "que o mercado de Quadrinhos esteja tão mal" como alguns membros da Academia declararam, mas este é um detalhe menor, pois concordamos com a proposta geral: "mais produção e promoção do Quadrinho nacional." Fazemos nossas as palavras do mestre Julio Shimamoto.
FALA SHIMA:
"Preciso esclarecer: quem está à frente desse movimento é a Ágata Desmond, amiga e agente de vida inteira de Edmundo Rodrigues (autor do Jerônimo, Herói do Sertão). Edmundo, no leito de morte, pediu-lhe que não deixasse que o mundo se esquecesse dele, e 2 anos depois a Ágata entrou em ação, ampliando a idéia de preservar a memória não só de Edmundo, mas também de outros desenhistas que marcaram ou marcam presença no mundo das HQs brasileiras. Pediu apoio das instituições culturais e dos veteranos, como Maurício, Ziraldo, Walmir do Amaral, Saidenberg, José Geraldo( faleceu antes), de mim e de mais gente, mas ainda está no comecinho. De minha parte, eu disse que não participaria, mas que seria solidário à iniciativa. Então, se estou na Academia é simplesmente como membro honorário, já que não exerço nenhum cargo. E é bom eu deixar isso bem claro! Ela e os participantes estão buscando um espaço para sediar a Academia. Eu e Saidenberg achamos que é um projeto muito ambicioso, de dificil auto-sustentação, pois as despesas estão saindo do próprio bolso! Mas parece que ela já está até levando porrada de pessoas mal informadas. O mundo é assim mesmo."
CARTA DA ABRAHQ:
"O Mundo dos Quadrinhos ganhou uma espécie de Liga da Justiça que vai lutar para preservar a memória das Hqs e direitos daqueles que fazem realmente o quadrinho acontecer que são os artistas. Para isso, nasceu a Academia Brasileira de Histórias em Quadrinhos, lançada no último 30 de janeiro, em Botafogo (Zona/Sul do Rio de Janeiro) mas que como o próprio nome diz, terá abrangência Nacional.
Composta por 20 membros efetivos, entre desenhistas e cartunistas, colecionadores, escritores, historiadores, roteiristas e instituições de HQs como o fundador do Museu dos Gibis (Ranieri Andrade), a ABRAHQ tem estatuto bem definido, diretoria e conselheiros como os grandes e experientes Mestres de HQs Júlio Shimamoto, Walmir Amaral, que nessa fase inicial tem sido de grande ajuda. Desde o lançamento, a presidente Ágata Desmond (membro da Confraria do Gibi- RJ e Curadora da obra dos artistas Edmundo Rodrigues e Flavio Colin) tem se preocupado com três alicerces: Comunicação, Comunhão e Direção.
Durante muito tempo, as Histórias em Quadrinhos ficou longe das pautas das grandes redações. Não falamos de um artista ou um gibi, mas da História em Quadrinhos como um todo. Por isso, a ABRAHQ tem em sua estrutura dois departamentos: Comunicação e Projetos/capitalização de recursos. Esses dois aliados ao alicerce da comunhão, pretendem revitalizar e inserir as HQs na sociedade. Precisamos lutar por maiores espaços, buscar patrocínio e para isso precisamos estar focados e com direção. É preciso valorizar o artista já experiente que hoje não tem mais espaço nas editoras, que não tem aposentadoria por não ter profissão regulamentada termina a vida esquecido ou em necessidades. Precisamos valorizar o jovem talento também. Porque quando os expoentes atuais das histórias em quadrinhos morrerem, é preciso que aja a renovação, não podemos deixar as HQs morrerem. Precisamos botar o assunto Historia em Quadrinhos na mídia, mostrar a nossa força, reunir todos os artistas desse brazilsão numa única casa e juntos.. seguirmos no foco da valorização, preservação das HQs e regulamentação dos artistas do pincel”, deixa claro a Presidente da ABRAHQ, Ágata Désmond.
Já colocando esses alicerces em prática, Ágata tem colocado a Assessoria de Imprensa da Academia para trabalhar e ganhou espaço na Globo News, CBN, O Globo, em blogs especializados em Hqs, em jornais até de outros estados. Especificamente na entrevista á Ancora Carolina Morand ( do CBN Total), Ágata praticamente colocou a Presidente Dilma contra a parede , mandou recado diretamente à ela e falou da realidade dos artistas nacionais... que mesmo vivendo muitas vezes no sufoco fazem Histórias de mocinhos e de cinderela.
Ágata Désmond participou do Trofeu Angelo Agostini onde a Confraria do Gibi (da qual Ágata é considerada a Dama e faz um trabalho de relações públicas) recebeu o prêmio Jayme Cortez (por contribuição ao Quadrinho Nacional). Na oportunidade ela palestrou sobre a ABRAHQ à convite do Jal, recebendo apoio de muitos artistas e empossando para a Academia o renomado cartunista Bira Dantas e o curador da obra de Jayme Cortez, Fabio Moraes. Além é claro, de conseguir apoio da AQC/ SP Associação de Quadrinistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo .
Aqui no Rio de Janeiro a Academia Brasileira de Historias em Quadrinhos segue semeando frutos que devem brotar em vários estados e buscando parcerias como a já firmada com o Sindicato dos Professores e com o Sindicato dos Artistas. É do grande Polo Art, artista de Minas Gerais toda a arte da Academia Brasileira de Histórias em Quadrinhos.
Então é isso, guarde esse nome que você ainda vai ouvir muito dele: Academia Brasileira de Histórias em Quadrinhos, que aqui no Rio homenageou com diploma os profissionais: Francisco Ferreth; Johnny Simões Fonseca; Carlos Felipe de Souza Oliveira ; Hélio Guerra; Fernando Resky; Sérgio Pereira Lima; Ágata Desmond; Flávio Colin Filho; Rodrigo Soncini Gonzalez; Ranieri Andrade; Lincoln Augusto Nery de Holanda Oliveira; Carlos Eugênio Baptista; Fabio Moraes; André Aurnheimer; Carlos Alberto de Carvalho; Fernando Jorge Silva; Wladimir Weltman; Marcus Moraes; Bira Dantas e Carlos Amorim. Todos esses ocuparam cadeira simbólica homenageando aos mestres imortais nas artes: Ângelo Agostini; Antonino Homobono; Alex Raymond; André Leblanc; Carlos Arthur Thiré; Eugênio Colonesse; Edmundo Rodrigues Flavio Colin; Gedeone Malagola; Gutemberg Monteiro; Ivan Wasth Rodrigues; J. Carlos; Jayme Cortez; Jerônimo Monteiro; Luiz Sá; Miguel Falcone Penteado; Moisés Weltman; Sérgio Lima; Nico Rosso e Pericles Maranhão. Na oportunidade conferiu diplomas de Menção Honrosa aos artistas Walmir Amaral e Julio Shimamoto."
Faça parte, você também, da ABRAHQ.
https://www.facebook.com/pages/Academia-Brasileira-de-Historia-em-Quadrinhos/1589270674641607?ref=ts&fref=ts