11 de jul de 2018

SANTA ROSA E ZIRALDO










ARQUIVOS INCRÍVEIS DO JOAO ANTONIO
Enfeixo neste álbum um matéria reunindo Ziraldo e Santa Rosa, numa exposição, de O Cruzeiro 22-07-1961.
Em seguida duas páginas do carnaval de 1954, de Manchete, sobre com os desenho carnavalescos de Santa Rosa .
A seguir a criação do Canarinho Tri do Ziraldo. Num anúncio de O Cruzeiro, da ave promovendo a bola da Estrela. Depois as Aventuras de Tri, o Canarinho, em Fatos & Fotos 18-06-1966. Finalmente um anúncio de O Cruzeiro, de Ziraldo, com os gibis que esta casa editora publicava.

9 de jul de 2018

CALAZANS NO JORNAL O SANTISTA

2 de junho de 2018, em entrevista a Fábio Tatsubô.
1. Como surgiu a proposta de publicar a Cartilha do Direito Autoral da AQC?
CALAZANS :- "Toda minha vida foi direcionada a minha paixão por Cultura de Mídia: Quadrinhos, Cinema e Literatura; minha mãe, bibliotecária e professora, me alfabetizou com ASTERIX e TINTIN e estudei idiomas para ler quadrinhos no original em francês, inglês e espanhol.
Posteriormente, no decorrer do curso universitário de Direito, dediquei-me às disciplinas relacionadas ao campo do Direito Autoral para entender meus direitos como roteirista e desenhista de quadrinhos, pois quadrinhos meus foram publicados na Editora Abril (revista AVENTURA E FICÇ O numero 19 em setembro de 1989), no álbum coletânea dos 40 melhores autores brasileiros "BRAZILIAN HEAVY METAL" (1996), na coletânea dos 50 autores que o "Instituto HQ" chamou de "elite dos quadrinhos brasileiros"- o álbum "PÁTRIA ARMADA:VISÕES DE GUERRA" (2016) e em muitos jornais, revistas e fanzines.

Fiz Doutorado e Mestrado na ECA USP e Livre-Docência na UNESP, sempre estudando Quadrinhos, Cinema e cultura geek.
Assim, a Cartilha foi crescendo como conseqüência desta dedicação e experiência acumulada como pesquisador, colecionador e autor de quadrinhos e foi o primeiro livro em idioma português a abordar os direitos dos autores de quadrinhos".

2. A cartilha tem o apoio da AQC (Associação dos Quadrinhistas e Cartunistas do Estado de São Paulo) como funcionou esta parceria?
CALAZANS :- " Em 1986 fiz parte de uma chapa e ganhamos a eleição da AQC (Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas), eu fui eleito no cargo de Diretor Executivo, ofereci à meus companheiros de chapa da diretoria para redigir um livro que ensinasse os direitos básicos aos associados e junto eu daria gratuitamente minha consultoria de direito autoral, esta foi a primeira edição; a segunda edição ampliada desta cartilha foi publicada este ano de 2018 e retomo a consultoria, a qual na verdade nunca cessei de prestar a quem procura-me nestes últimos 30 anos, acumulando certa experiência e vivência neste mercado específico, tanto como pesquisador quanto como autor, tradutor e colecionador. A parceria foi das editoras GRR!, WAZ, AQC e livraria COMIX entre outras livrarias nas quais o livro é vendido na internet. A Cartilha de Direito autoral da AQC é um livro imprescindível para todos os autores de Histórias em Quadrinhos, tiras de jornal, Charges e Cartuns, além de professores de desenho de caricatura e comics e também para pesquisadores e colecionadores de gibi, obrigatória no acervo de Gibitecas e Bibliotecas que tenham Álbuns ou revistas de Histórias em Quadrinhos.

A Cartilha é parte da campanha de filiação da AQC, que é GRATUITA e sem mensalidades, basta você enviar um e-mail declarando que deseja ser associado e em um mês seu nome será publicado na lista do blog da AQC e terá desconto nas publicações, cursos, palestras, eventos e minha consultoria gratuita. http://aqcsp.blogspot.com.br/ "

3. O que o desenhista precisa fazer registrar seus quadrinhos na Biblioteca Nacional?
CALAZANS :- "O registro pode ser feito on line com os documentos em download no site da Biblioteca Nacional e recolhendo uma taxa de expediente, mas se o autor tem pressa antes de mostrar a editores ou outros autores e correr risco de ter as idéias copiadas pode registrar o personagem no mesmo dia em qualquer Cartório de Títulos e Documentos, o registro já inibe quem estiver com más intenções e que poderia roubar as suas idéias. Na verdade basta ter testemunhas, mas um registro com carimbo de cartório dá seriedade oficial à obra.".

4. Num mundo digital, onde é fundamental a divulgação das artes nas redes sociais, como o artista pode proteger seus trabalhos?
CALAZANS :- "Com um PRINT SCREEN da rede social já pode provar a autoria, e principalmente com o testemunho de todos que curtiram a imagem, ali terá a data e horário em que publicou, nestas brigas costuma ganhar quem puder provar que publicou antes. Mas existem também coincidências, muitas vezes em redes sociais vi dois chargistas políticos desenharem a mesma idéia no mesmo dia, o importante é conversar primeiro e tentar resolver sem brigas pois um processo judicial pode ser muito longo e cansativo para as duas partes.".

5. Se um artista descobre que outra pessoa ou empresa utilizou suas artes sem autorização, que tipo de medidas podem ser tomadas?
CALAZANS :- "Publicar sua obra sem pagar é um CRIME chamado de CONTRAFAÇ O e copiar suas idéias redesenhando é outro CRIME chamado PLÀGIO, o autor vítima destes crimes também pode fazer um processo de DANO MORAL e ganhar um dinheiro em indenização. Mas antes é preciso conversar, um processo pode demorar muito e fazer outras editoras boicotarem seu nome e pararem de comprar suas artes em solidariedade ao editor processado.".

"Cartilha de Direito autoral da AQC-ESP - Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo" de autoria do Doutor Flávio Calazans (14 x 20,5 cm. 92 pgs., p&b, lombada quadrada, R$ 23,00 mais correio)

Para adquirir um exemplar escreva para:
produtoraculturalwaz@yahoo.com.br

FLAVIO CALAZANS é Doutor pela USP,
Autor dos livros :
"HISTÓRIAS EM QUADRINHOS NA ESCOLA" em TERCEIRA EDIÇÃO pela editora PAULUS, SP.
"CARTILHA DE DIREITO AUTORAL DA AQC" em SEGUNDA EDIÇ O pelas Editoras GRR!, WAZ e AQC.
Autor dos álbuns de HQ mais republicados do Brasil- "Guerra das Ideias" em SEXTA edição, e "Guerra dos Golfinhos" em QUINTA edição.
Publicou HQ na EDITORA ABRIL (1989) e nos álbuns"BRAZILIAN HEAVY METAL" (1996, entre os 40 melhores autores do Brasil); "PÁTRIA ARMADA:VISÕES DE GUERRA" (2016 entre os 50 autores que o INSTITUTO HQ chamou de ELITE DA HQ NACIONAL) e publicou tiras e charges em diversos jornais.

RISOGRAFIA



São 25 mini-biografias de figurinhas carimbadas, personagens engraçados, atrapalhados.

Vendido pelo Clube de Autores
Páginas: 53
Preto e branco
Formato A4
Valor impresso: R$ 28,15
E-book: R$ 15,07

Contato com Angelo Martins <angelomsjunior@yahoo.com.br>
Ou pelo link.
https://clubedeautores.com.br/book/254503--RISOGRAFIA#.W0O9I9JKiUl


MAIS UMA REVISTA DA EDITORA OPÇÃO2


Lançamento nos quadrinhos: Billy The Kid & Outras Histórias #28.
Com 36 páginas, a revista conta com arte de capa de Chibilski e Sandro Marcelo, HQs de Primaggio Mantovi (Rocky Lane), Ailton Elias e Arthur Filho, artigos sobre Tex, correio do Billy, crônicas e artigos de Faroeste.


Para fazer o depósito e receber a revista, envie e-mail para receber os dados da conta bancária. 

Valor R$12,00 incluindo taxa de correio.
arthur.goju@bol.com.br 

FÓRUM NACIONAL DE PESQUISADORES EM ARTE SEQUENCIAL EM MACAÉ

Nos dias 25 a 27 de julho, o Campus Macaé do Instituto Federal Fluminense sediará o IV Fórum Nacional de Pesquisadores em Arte Sequencial (FNPAS). Realizado em parceria com o projeto de extensão IFanzine e Fanzinoteca do IFF Macaé, o Fórum conta com uma extensa e diversificada programação de mesas redondas, mais de quarenta apresentações orais, minicursos e oficinas. 
O FNPAS é um encontro bienal promovido pela Associação de Pesquisadores em Arte Sequencial (Aspas), que integra pesquisadores que ensejam a pesquisa e o desenvolvimento científico e pedagógico acerca da arte sequencial, com ênfase nas histórias em quadrinhos. 
O IV FNPAS terá como tema “Os Quadrinhos e Diversidade”, sendo o mote para as discussões promovidas durante as sessões de comunicação e mesas redondas. As apresentações orais terão os eixos “Fanzine e Quadrinhos Autoriais”, “Quadrinhos, Gênero e Diversidade”, “Mídia e Linguagens”, “Cultura e Sociedade” e “Quadrinhos e Educação”. As mesas redondas terão como discussão os temas “Mulheres e Mangá – Uma História a Partir da Perspectiva de Gênero”, “Fanzines, Pesquisa e Diversidade”, “Os Quadrinhos, a Pesquisa e a Universidade” e “Gênero e Diversidade”. 
Três oficinas voltadas para os estudantes do IFFluminense acontecerão na Fanzinoteca : “Quadro a Quadro – Fundamentos Narrativos das Histórias em Quadrinhos”; “Oficina de Fanzine Gibiozine” e “Oficina de HQforismos”. Haverá ainda um minicurso com o tema “Como Escrever Quadrinhos” para os participantes inscritos no evento. 
O evento inclui ainda uma exposição de quadrinhos produzidos pelos estudantes do Campus Macaé e uma sessão de autógrafos e lançamento de publicações que ocorrerá na Fanzinoteca IFF Macaé, com a presença de pesquisadores e autores de quadrinhos de diversas partes do país. Estudantes do IFF Macaé que produzem fanzines a partir do trabalho desenvolvido na Fanzinoteca também farão parte como autores, lançando seus zines.
Segundo Alberto de Souza, programador visual do IFFluminese, também associado da Aspas e responsável pela Fanzinoteca sediada no Campus Macaé desde outubro passado, o evento, pela sua amplitude, contempla diferentes perspectivas das inúmeras áreas do conhecimento e possibilitam a melhor compreensão da Arte Sequencial, fortalecendo da pesquisa transdisciplinar na área de quadrinhos e afins. 

O Fórum tem como público-alvo pesquisadores, professores e estudantes de graduação e pós-graduação identificados com a discussão sobre o universo da pesquisa e da criação de histórias em quadrinhos. As inscrições para a participação como ouvinte seguem abertas até dia 16 de julho e informações gerais sobre o evento estão disponíveis no site: 

Caderno de resumos:

Lista de publicações a serem lançados no evento:

10 de abr de 2018

ARQUIVOS INCRIVEIS DO JOAO ANTONIO

















(Joao Antonio Buhrer)
Enfio neste balaio uma entrevista de Rubem Braga, concedida para o repórter Arakén Tavora, que O Pasquim reproduziu em  28-02-1991, num de seus derradeiros números. Depois exibo aquela edição em que O Pasquim entrevistou Nunes Pereira uma página em que Jaguar criou o personagem de cartum Jesus. Mas ele não foi  adiante. Duas capas de livros de Vovô Felicio, ilustrados por Joselito. Capa e algumas páginas do folhetim de Dagomir Marquezi, ilustrado por Negreiros, de 1980. Capa e duas ilustrações de livro da Codecri, ilustrados por Emil, que era um curioso cartunista,  que não usava nanquim ou tinta, apenas lápis. Por onde anda Emil? Ilustração de Grilo, para O Pasquim, de 11 a 17 julho 1985.

13 de mar de 2018

EM HOMENAGEM AOS 85 ANOS DO MESTRE ZIRALDO


















(João Antonio Buhrer de Almeida)
OS ZERÓIS  do ZIRALDO já viraram livro, por intermédio do Banco do Brasil. Mas antes disto, o próprio blog do Ziraldo (de onde capturei todos os Zeróis pintados em telas), já tinha disponibilizado  o material para os  não viajados como eu. Assim quem não teve condições de ir ver a exposição no Rio, que aconteceu há 8 anos, pode viajar pelo menos virtualmente até a exposição. Abaixo as infos que vieram juntos aos quadros no blog:

Mostra Zeróis: Ziraldo na Tela Grande
Las Meninas da África
1,95m x 2,40m
Sobre Velázquez, Picasso e Lee Falk

Hopper e a Solidão Americana
2,70m x 1,80m
Sobre Edward Hopper

Os Homens Continuam Os Mesmos
Men remain the same
2,00m x 2,20m
Desde os anos de ouro eu me encatava com H.G. Peter, que fazia as ilustrações da HQ da Mulher Maravilha.
H.G. Peter é o Paolo Uccello dos comics. Eu sonhava em desenhar seus homens e seus mágicos panejamentos nos meus cartuns. Não era fácil.
 

O Super-Afrodescendente
1,40m x 2,40m
A ideia e os estudos para este quadro são muitíssimos anteriores à presença de Obama na história maericana.

The Super Angel
O Super-Anjo
1,35m X 2,00m
Como imagens que marcam uma vida para sempre, este 'santinho' e os quadrinhos dos comics americanos chegaram juntos na minha vida.

The True Wonder Woman
A Verdadeira Mulher Maravilha
1,32m x 2,00m

Capitão América Ilustrado
Illustrated Captain America
1,58m x 2,00m
No seu ressuscitamento sob Stan Lee, quando declarou "Eu devia ter lutado menos e perguntado mais."
In his revival under Stan Lee, when he stated: "I should have fought less and asked more."

Tarzan: a visita do velhor senhor
Tarzan: the visit from the Odl gentleman
1,75m x 2,00m
A propósito, muita gente anda querendo conhecer o pintor que me ajudou a pintar essas quarenta telas enormes. Pois olhem a cara dele aí. O jovem se chama Paulo Vieira e pinta como um deus! Se eu tivesse que fazer esta exposição sozinho, iria demorar um século para aprontar esses quadros. Com a ajuda do Paulo, terminamos a exposição em pouco mais de três anos. Paulo passa o resto do tempo cuidando da própria pintura que é da melhor qualidade. Breve vocês vão poder visitar uma exposição do Paulo e vão poder constatar como a cidade de Caratinga é craque pra criar artistas. Não sei se vocês sabem, mas o Agnaldo Timóteo, a Miriam Leitão e o Rui Castro são de lá. (Ziraldo) 

The wonder maja
A Maja Maravilha
2,00m x 1,25m

Sobre Goya
After Goya

Superman Master Piece
A Obra-Prima do Super-Homem
1,50m x 2,00m

Mickey, do Tríptico
1,00m x 1,00m 
A palavra inventada mais famosa do mundo.

The Connoisseur
O Especialista
1,70m x 2,20m
O americano perplexo diante do quadro de Pollock - de Norman Rockwell - foi transmutado aqui no Capitão América - tão perplexo quanto - diante de um Lichtenstein. Faz sentido.

Retrato de Família
Family Portrait
1,60m x 2,00m

Superman Master Piece
A Obra-Prima do Super-Homem
1,50m x 2,00m

O nascimento do homem novo
The birth of the New Man
2,00 x 1,90m

Sobre Salvador Dali
After Salvador Dali

Mickey, do Tríptico
1,00m x 1,00m 
A palavra inventada mais famosa do mundo.

Mostra Zeróis: Ziraldo na Tela Grande
Fruto de mais de três anos de trabalho, Ziraldo mostra em 44 grandes telas (acrílico sobre tela), toda sua habilidade com a pintura, lado pouco conhecido do artista.
O publico poderá conhecer de perto os Zeróis, famosos cartuns da década de 1960, cujos os personagens estão transfigurados em pinturas que ampliam seu significado nas releituras de artistas como Picasso, Velázquez, Goya, Dali, Grant Wood, Hopper, Mathieu, Lichtenstein ou Warhol.
O design da exposição é de Daniela Thomas e Felipe Tassara.

SERVIÇO
ZERÓIS: Ziraldo na tela grande
de 20 de julho a 19 de setembro de 2010, de terça a domingo, de 10h as 22h
CCBB Rio de Janeiro, Rua Primeiro de Março, 66
Entrada gratuita
Mais informaçãoes: Centro Cultural Banco do Brasil

27 de fev de 2018

MODERNIDADE EM DESALINHO


A Paco Editorial está lançando o livro do professor Rogério Souza Silva, que atua na Universidade do Estado da Bahia (UNEB) e é doutor em história pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). O título obra é Modernidade em desalinho: costumes, cotidiano e linguagens na obra humorística de Raul Pederneiras (1898-1936). Raul foi um dos maiores caricaturistas brasileiros do início do século XX e atuou em jornais e revistas cariocas durante décadas.

Escreveu o autor Rogério Souza Silva:
"Enfim, o livro está lançado. Quero agradecer muita a Heloísa de Faria Cruz e Silvia Capanema. Duas historiadoras que me apoiaram, inspiraram com ideias, críticas e estímulos.
Os anos do doutorado na PUC-SP estão entre os melhores da minha vida. Adorei fazer esse trabalho. Foi uma aventura!!! Quero outra igual!"

https://www.youtube.com/watch?v=Uik7QrKBI-o&t=2s

Aqui, mais detalhes do livro:

AS COLUNAS QUADRINHÍSTICAS DE LUIS ANTONIO SAMPAIO
















Enviado por João Antonio Buhrer de Almeida:
"Nas revistas Mestres do Terror e Calafrio havia uma seção de história da histórias em quadrinhos. Era escrita por um mestre, um dos grandes especialistas no gênero.: Luis Antônio Sampaio. Ele está vivo, e é de Campinas.
Em 1970 Sampaio foi um dos pioneiros em fazer eventos de quadrinhos, produziu um que ficou histórico. Este fato é pouco conhecido."

OS ARQUIVOS INCRÍVEIS DO JOÃO ANTONIO

Acompanhe no Facebook: