27 de nov de 2010

Prêmio ANGELO AGOSTINI

O DIA DO QUADRINHO NACIONAL E O TROFÉU ANGELO AGOSTINI


A AQC-ESP (Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo) foi criada em 1984, para reunir os profissionais da categoria, procurando defender seus interesses e abrir perspectivas para semi-profissionais e incentivar os amadores a abraçar esta arte. Com poucos recursos e muito boa vontade de alguns, a associação tem procurado cumprir esta orientação. Mas existe um outro aspecto muito importante que tem ocupado um espaço de destaque entre as atividades da AQC-ESP: o resgate e a referência aos grandes artistas do quadrinho nacional, que são homenageados anualmente através do troféu ÂNGELO AGOSTINI.




ÂNGELO AGOSTINI


Ângelo Agostini foi quem realizou a primeira história em quadrinhos, em seqüência e com um personagem fixo, no Brasil, que começou a ser publicada em 30 de janeiro de 1869. O nome dessa HQ era "As Aventuras de Nhô Quim ou Impressões de Uma Viagem à Corte", que duraria nove capítulos pelo traço de Agostini. Em 1984, através do cartunista e historiador Álvarus e do quadrinhista Ofeliano de Almeida, levantou-se a data em que a primeira HQ nacional foi publicada e a AQC-ESP resolveu instituir um prêmio e um dia especial do ano, para marcar o trabalho de dezenas de artistas, que desenharam nossa história em quadrinhos. Assim surgiu O DIA DO QUADRINHO NACIONAL. Existem interpretações e registros anteriores ao 30 de janeiro de 1869 (até HQ's do próprio Agostini, veiculadas no pasquim "Diabo Coxo", em 1865), mas o personagem Nhô Quim é muito significativo para a arte desenhada no Brasil, assim como Ângelo Agostini. Além de seu papel destacado como republicano, anti-clerical e abolicionista, Agostini delimitou fronteiras, criou estilo, influenciou e tornou a caricatura, a sátira política e os quadrinhos parte de nossa nascente imprensa. Agostini, foi, inclusive, um dos fundadores da mais importante revista infantil brasileira: a popular "O Tico Tico".




O DIA DO QUADRINHO NACIONAL




O espírito do Dia do Quadrinho Nacional foi, inicialmente, o de consagrar como Mestres, os profissionais que dedicaram, pelo menos, vinte e cinco anos de seu trabalho aos quadrinhos nacionais. Depois, o sentido da homenagem foi ampliado para os melhores trabalhos do ano anterior e atualmente existe uma referência à produção alternativa, feita através dos fanzines. Mas a proposta inicial foi mantida, ou seja, a categoria; profissionais, amadores, estudiosos e aficionados do assunto escolhem, através de votação, quem receberá o troféu Ângelo Agostini. Por volta do mês de novembro de cada ano, são distribuídas as cédulas de votação. Feita a apuração, os vitoriosos são homenageados, com direito a uma exposição, troféu e muita badalação. Um momento emocionante para a maioria - constatação de que sua arte é apreciada por outros, além de ser uma festa para todos os quadrinhistas.


TODOS OS PREMIADOS


1984: Eugênio Colonnese, Jayme Cortez, Messias de Melo e Rodolfo Zalla (mestres). O editor Itagyba de Oliveira da revista Inter Quadrinhos.
1985: Gedeone Malagola, Julio Shimamoto e Nico Rosso (mestres), Watson Portela (desenhista), Julio Emilio Braz (roteirista), Chiclete com Banana / Circo e Medo / Press (lançamentos).
1986: Flavio Colin, Sergio Lima e Henfil (mestres), Mozart Couto (desenhista), Gilberto Camargo (roteirista), Bundha / Press (lançamento), Sindicato dos Jornalistas de São Paulo (especial) e, pelos 50 anos dedicados aos quadrinhos, um troféu especial para Jayme Cortez.
1987: Cláudio Seto, João Batista Queiroz e Luiz Sá (mestres), Spacca (desenhista), Fernando Gonsales (roteirista), Radar / Press (lançamento). Neste ano, foi intituído o troféu Jayme Cortez para os incentivadores da HQ nacional, entregue ao Marcatti.
1988: Rubens Francisco Lucchetti, Jaguar e Álvaro de Moya (mestres) ,Laerte Coutinho (desenhista), Luiz Aguiar (roteirista), Seleções do Quadrix, Garra Cinzenta / Waz (lançamento), Jal e Gualberto (Jayme Cortez).
1989: Miguel Penteado, Walmir Amaral e Ziraldo (mestres), Gustavo Machado (desenhista), Novaes (roteirista), Menino Maluquinho / Abril (lançamento), Franco de Rosa (Jayme Cortez).
1990: Aylton Thomas, Reinaldo de Oliveira e Primaggio (mestres), Hector Gomez (desenhista), Laerte Coutinho (roteirista), Piratas do Tietê / Circo (lançamento), Franco de Rosa (Jayme Cortez).
1991: Izomar Camargo, Ismael dos Santos e André Le Blanc (mestres), Gustavo Machado e Lourenço Mutarelli (desenhistas), Laerte Coutinho (roteirista), Graphic Trapa / Abril (lançamento) e Worney A. Souza (Jayme Cortez),
1992: Maurício de Sousa, Waldir Igayara e Carlos Zéfiro (mestres), Marcelo Campos (desenhista), Laerte Coutinho (roteirista), Pau-Brasil / Vidente (lançamento), Panacéa (fanzine) e Gibiteca Henfil (Jayme Cortez).,
1993: Ely Barbosa, Lyrio Aragão e Getúlio Delphin (mestres), Marcelo Campos (desenhista e roteirista), SemiDeuses / Saga (lançamento), Panacéa (fanzine) e Edgar Guimarães (Jayme Cortez).
1994: Ivan Saindenberg, Paulo Fukue e Roberto Fukue (mestres), Fernando Gonsales (desenhista), Arthur Garcia (roteirista), Mulher Diaba no Rastro de Lampião / Nova Sampa (lançamento), Marvel News (fanzine) e Edgar Guimarães (Jayme Cortez).
1995: Helena Fonseca, Paulo Hamasaki e Antonio Duarte (mestres), Arthur Garcia (desenhista), Lúcia Nóbrega (roteirista), Coleção Assombração / Ediouro (lançamento), Informativo de Quadrinhos Independentes (fanzine) e Edgar Guimarães (Jayme Cortez).
1996: Fernando Ikoma, Maria Aparecida Godoy e Oscar Kern (mestres), Sebastião Seabra (desenhista), Laerte Coutinho (roteirista), Gibizão da Turma da Mônica / Editora Globo (lançamento), Informativo de Quadrinhos Independentes (fanzine) e Edgard Guimarães (Jayme Cortez).
1997: Carlos Thiré, Manoel Victor Filho e Zezo (mestres), Marcelo Campos (desenhista), Marcelo Cassaro (roteirista), Metal Pesado / Metal Pesado Editora (lançamento), "Informativo de Quadrinhos Independentes" (fanzine) e Metal Pesado Editora (Jayme Cortez).
1998: Deodato Borges, Luiz Antonio Sampaio e Péricles (mestres), Laerte Coutinho (desenhista), Marcelo Cassaro (roteirista), Cybercomix / Editora Bookmakers (lançamento), Mocinhos e Bandidos (fanzine) e Editora Bookmakers (Jayme Cortez).
1999: Adolfo Aizen, Moacy Cirne e Renato Silva (mestres), Marcelo Campos (desenhista), Gian Danton (roteirista), Dobro de Cinco / Devir Editora (lançamento), Quadrinhos Independentes (fanzine) e Edgar Guimarães (Jayme Cortez).
2000: Edson Rontani, Ivan Watsh Rodrigues e Renato Canini (mestres), Flávio Colin (desenhista), André Diniz (roteirista), Fawcett/Editora Nonarte (lançamento), Quadrinhos Independentes (fanzine) e Edgar Guimarães (Jayme Cortez).
2001: Antonio Cedraz, Claudio de Sousa, Edmundo Rodrigues, Ignácio Justo, Ionaldo Cavalcanti, José Delbó, Luis Sátiro, Luiz Saindenberg, Luscar, Nani, Osvaldo Talo, Rubens Cordeiro e Zaé Júnior (mestres), Flávio Colin (desenhista), Wellington Srbek (roteirista), Fábrica dos Quadrinhos/Devir (lançamento), Quadrinhos Independentes (fanzine) e Editora Opera Graphica (Jayme Cortez).
2002: Otacilio D’Assunção, Laerte Coutinho, Moacir Rodrigues, Antônio Eusébio e Tony Fernandes (mestres), julio Shimamoto (desenhista), Wellington Srbek (roteirista), Madame Satã/Opera Graphica (lançamento), Quadrinhos Independentes (fanzine), Editora Opera Graphica (Jayme Cortez), Cláudio, Spacca, Márcio Baraldi, Lupin e Bira (cartunista), Alexandre Silva, Lilian Mitsunaga, André Vazzios, André Hernandez, Alexandre Jubran (arte-técnica), Franco de Rosa, Carlos Mann, Roberto Guedes, André Diniz e Edgar Guimarães (editores), Erica Awano, Emir Ribeiro, Marcelo Borba, Sílvio Spotti e Omar Viñole (arte-final), Impacto, Quanta, Esa, Graphis e Abra (escolas), D-Arte, Ebal, Vecchi, Grafipar e GEP (editoras clássicas), Escala, Via Lettera, Devir, O Pasquim e Virgo (editoras atuais), Comix Boop Shop, Revistas & Cia, Point HQ, Banca Flávio e Itiban (lojas), Cida Cândido, Gonçalo Jr., Gualberto Costa, Sidney Gusmann e Giovanni Voltolini (amigos da HQ nacional) e Gibiteca de Curitiba, Gibiteca Henfil, Salão de Humor de Piracicaba e Núcleo de HQ da Fau-usp (entidade).
2003: Angeli, Angelo Agostini, Carlos Estevão, Chico Caruso e Rivaldo (mestres), Mozart Couto (desenhista), Marcelo Cassaro (roteirista), Roko-Loko (Opera Graphica Editora) (lançamento), Quadrinhos Independentes (Edgar Guimarães) (fanzine), Franco de Rosa e Roberto Guedes (editores), Alexandre Jubran e André Vazzios (artistas de arte-técnica), Mozart Couto e Renato Guedes (arte-finalistas), Bira e Márcio Baraldi (cartunistas), André Diniz, Sidney Gusman e Opera Graphica Editora (troféu Jayme Cortez).
2004: Luiz Gê, Minami Keizi e Paulo Caruso (mestres), Wanderley Felipe (desenhista), Fábio Moon e Gabriel Bá (roteirista), Roko-Loko e Adrina-Lina Atacam Novamente (Opera Graphica Editora) (lançamento), Quadrinhos Independentes (Edgar Guimarães) (fanzine), Márcio Baraldi (cartunista), Roberto Guedes (troféu Jayme Cortez) e Diogo Saito (prêmio especial Hermes Tadeu-colorista).
2005: Jorge Barkinwel, Lor e Sônia Luyten (mestres), Fábio Moon e Gabriel Bá (desenhistas), Marcatti (roteirista), Tatoozinho (Opera Graphica) (lançamento), Quadrinhos Independentes (Edgar Guimarães) (fanzine), Ubiratã Dantas (cartunista) e Site Bigorna (troféu Jayme Cortez).
2006: Henrique Fleiuss, Cândido de Farias, Renato de Castro, J. Carlos, Max Yantok, Augusto Rocha, Alfredo Storni, Oswaldo Storni, Vasco Lima, Léo, Theo, Paulo Afonso, Gil Vaz, Loureiro, Herman Lima, Fortuna, Belmonte, Nino Borges, Francisco Armond, Jerônimo Monteiro, Judas Isgorogotas, Sammarco, Gil Brandão, Monteiro Filho, Joselito, Francisco Iwerten, Helio Porto, José Geraldo, Juarez Odilon, Orlando Pizzi, Milton Júlio, Scudellari, Pedro Segui, Luiz Carlos Salgueiro, Otávio Novaes, Manoel Ferreira, Bortolassi, José Sidekerkis, Salvador Bentivegna, João Montini, Nelson Cunha, Carlos Magno, Luiz Rosso, Militello, Fabiano e Giorgio Capelli (mestres in memorian), Gutemberg Monteiro, Luiz Teixeira da Silva (Tule) (mestres), Fábio Moon e Gabriel Ba (desenhistas), Anita Costa Prado (roteirista), Márcio Baraldi (cartunista), Katita, Tiras Sem Preconceito (Editora Marca de Fantasia) (lançamento), Justiça Eterna (Sérgio Chaves) (fanzine) e Edgard Guimarães (troféu Jayme Cortez).
2007: José Evaldo de Oliveira e Fernando Bonini (mestres in memorian), Aníbal Barros Cassal, Antônio Luiz Cagnin, Diamantino da Silva, Fernando Dias da Silva, Ofeliano de Almeida e Salatiel de Holanda (mestres), Laudo Ferreira Júnior (desenhista), Anita Costa Prado (roteirista), Márcio Baraldi (cartunista), Menino Caranguejo (Splinter Comics) (lançamento), Justiça Eterna (Sergio Chaves) (fanzine) e Eloyr Pacheco (troféu Jayme Cortez).
2008: Emir Ribeiro, Deodato Filho, Mozart Couto, Sebastião Seabra, Sergio Morettini e Watson Portela (mestres), Laudo Ferreira Júnior (desenhista), Daniel Esteves (roteirista), Márcio Baraldi (cartunista), Menina Infinito (Editora Desiderata) (lançamento), Quadrinhos Independentes (Edgar Guimarães) (fanzine) e Coletivo Quarto Mundo (troféu Jayme Cortez).
2009: Franco de Rosa, Henrique Magalhães e Rodval Mathias (mestres), Adauto Silva (desenhista), Laudo Ferreira Júnior (roteirista), Sivanildo Sill (cartunista), Roko-Loko - Hey Ho, Let´s Go! (Editora Rock Brigade) (lançamento), Quadrinhos Independentes (Edgard Guimarães) (fanzine) e José Salles (Editora Júpiter II) (troféu Jayme Cortez).