21 de mai de 2012

QUADRINHOS 51 NO MuBA Adriano Rainho abriu o otimo debate no ultimo sabado, no auditorio da Faculdade de Belas Artes de São Paulo.
19 de maio de 2012, uma tarde memorável com Gervásio de Freitas, Sidney Gusman, Álvaro de Moya e Adriano Rainho.
Mais fotos no Facebook: http://www.facebook.com/Quadrinhos51 Quem ainda não foi à Exposição Quadrinhos'51, só tem até o próximo sabado para apreciar e conhecer a arte dos grandes mestres do traço que notabilizaram as HQs brasileiras entre as décadas de 40 a 70, como é o caso do Mestre Shima, que tem alguns de seus trabalhos expostos na mostra. Rua Dr. Álvaro Alvim, 76, Vila Mariana, São Paulo. (11) 4113-5019
Primaggio Mantovi
Revista Almanaque Heróis do Oeste. Todos os cowboys da RGE juntos na mesma capa, com uma curiosidade: o lápis do personagem Flecha Ligeira foi feito pelo José Evaldo de Oliveira, desenhista oficial do personagem, como nos conta o próprio Primaggio, que passou o nanquim. Esta arte original e rara pode ser apreciada até sábado, dia 26, na Exposição Quadrinhos'51.
Jayme Cortez (capa da revista do Carequinha e Fred) na década de 50!
Flavio Colin
Antonino & Sathis
Gutemberg Monteiro
Desenho a lápis de Gutemberg para capa da revista Hot Stuff (Brasinha, no Brasil). Página dominical do Tom & Jerry desenhada pelo nosso grande Gutemberg Monteiro.
Rodolfo Zalla
"Jacaré" Mendonça, de Rodolfo Zalla! Esse personagem foi publicado em tiras diárias no Ultima Hora de Samuel Wainer, no início de 1964.
Aylton Thomas por Benicio.
Eugenio Colonnese
Civitelli
Alberto Breccia em adaptação aos quadrinhos de El Corazon Delator.
Miguel Penteado
TROFÉU P.A.D.A. DE INCENTIVO AOS QUADRINHOS PERNAMBUCANOS
http://www.prismarte.com.br/pada/?p=2172 A Produtora Artística de Desenhistas Associados – com o objetivo de incentivar o desenvolvimento, a qualidade e o interesse pelas histórias em quadrinhos e artes gráficas em geral promove a entrega do TROFÉU P.A.D.A. DE INCENTIVO AOS QUADRINHOS PERNAMBUCANOS – outrora chamado de Troféu Os Melhores da Prismarte – a fim de premiar os artistas, editores, publicações e veículos que foram considerados os melhores no ano de 20011 dentro do estado de Pernambuco escolhidos pelo voto de um júri especial. DAS CATEGORIAS Na categoria ESPECIAL, será entregue o prêmio de Grande Contribuição para os quadrinhos Nacionais. Na categoria GERAL serão entregue os prêmios de : Melhor Artista de Humor Gráfico; Melhor Arte-finalista; Melhor Ilustrador; Melhor Desenhista; Melhor Roteirista; Melhor História em Quadrinhos
Faça como o Nestablo Ramos (Zona Zen e Zoo) em 2011 que papou quase todos os troféus.
GILMAR FRAGA
Ilustração para a capa do Segundo Caderno do Jornal Zero Hora, sobre o relançamento de Contos Gauchescos" e "Lendas do Sul", do clássico Simões Lopes Neto editado por Luís Augusto Fischer, para a L&PM Editores. Digital. Publicado em 20 de maio de 2012.
MARCATTI ENTREGA MOFO PARA FLOREAL
Revista impressa pelo Marcatti em 1987 na editora PRO-C (com HQs do Floreal e de seu irmão João) bancada pelo amigo Asato e por outro irmão (Fernando). Foi lançado no Saco de Lixo, evento no Dia do Soldado no Bar Vermelho 147, do cartunista Ohi. No ultimo sábado na Livraria HQ Mix, durante o lançamento de "Revolução do Gibi" de Paulo Ramos, o Marcatti apareceu com um pacote com vários exemplares e entregou ao Floreal, que encheu os olhos de felicidade!
NOVA ADAPTACÃO DE O GUARANI EM QUADRINHOS
(Renato Lebeau) http://impulsohq.com/tag/juliano-oliveira/ "Depois de lançar as adaptações para os quadrinhos das óperas Aída, de Giuseppe Verdi e A Flauta Mágica, de Mozart, a coleção Ópera em Quadrinhos, da Editora Scipione, lança O Guarani, a opera de Antonio Carlos Gomes, baseada na obra original escrita por José de Alencar. Com 40 páginas coloridas no formato 20 x 27,5 cm, o álbum traz a história de Peri, um índio goitacá fiel ao nobre português D. Antônio de Mariz, que se apaixona por Cecília, filha do fidalgo. Por causa da morte acidental de uma índia Aimoré, a tribo toda se revolta e começa a hostilizar os brancos colonizadores. A partir daí, uma série de acontecimentos coloca a vida de Ceci em risco, e Peri terá de enfrentar muitos perigos para salvá-la da ira dos Aimorés. Essa nova versão da clássica história de amor e aventura na época do Brasil colônia, que foi escrita por José de Alencar em 1857, tem roteiro adaptado por Rosana Rios, arte Juliano Oliveira, arte-final de Sam Hart, cores de Tarsis Cruz e letras por Cadú Simões."
PEDRO CLETO "Autores portugueses mostram-se ao mundo
O que há de comum entre o Homem-Aranha, Gog Mendonça e Pizza Boy, John Carter de Marte e relatos autobiográficos? A resposta tem tanto de simples quanto de surpreendente: são desenhados por autores portugueses e estão a ser publicados no estrangeiro. E se a publicação de autores nacionais de banda desenhada fora de portas, nomeadamente nos EUA, já não é novidade, não deixa de surpreender a simultaneidade num espaço de tempo curto de várias publicações numa mão cheia de países. Uma delas é a nova revista “Marvel Universe: Ultimate Spider-Man”, lançada nos EUA no final de Abril e acabada de chegar às lojas especializadas portuguesas. Baseada nas aventuras animadas do Homem-Aranha tem como um dos desenhadores o português Nuno Plati que, após diversas colaborações soltas com a Marvel, surge aqui como artista regular da revista “a desenhar uma das histórias todos os meses” tendo já 3 histórias entregues. Plati confessa-se triplamente satisfeito porque “para além de estar a trabalhar regularmente, estou a trabalhar para um publico mais jovem, o que me agrada, porque não sou fã do chamado grim and gritty, e confesso que estar a trabalhar em algo relacionado de alguma maneira com animação, é algo que me dá bastante gozo”. E acrescenta: “o facto de poder mostrar à minha filha daqui a um anito ou dois (ela tem 2 anos), os comics que desenho, diz-me muito. Não passam de histórias divertidas, muito light e sem o mínimo de pomposidade, e isso satisfaz me plenamente”." http://asleiturasdopedro.blogspot.pt/2012/05/autores-portugueses-mostram-se-ao-mundo.html
NOTICIAS DOS QUADRINHOS Um acervo com 12 anos de trabalho do cartunista Laerte foi furtado da casa dele por ladrões.Os desenhos feitos pelo artista desde 2000 estavam em dois computadores e em um disco rígido externo. Laerte começa o trabalho sempre no papel. Mas depois coloca cor e finaliza no computador em casa. Laerte diz possuir cópias de alguns destes desenhos em CD, mas muitos deles estão ilegíveis. Por isso a aflição em recuperar sua produção. Mesmo que consiga algo nos arquivos de jornais e de outras publicações, as imagens das tiras vão estar em baixa resolução. O furto ocorreu por volta das 5 horas da manhã. Laerte mora em uma casa no bairro do Rio Pequeno, zona oeste de São Paulo. O local é bastante próximo à Cidade Universitária da USP. De acordo com as informações passadas à polícia, toda a casa do artista foi vasculhada. Os criminosos reviraram também os arquivos físicos de documentos que estavam na casa de Laerte. Os ladrões levaram também um aparelho de DVD. Não havia muitos eletroeletrônicos de valor. Até os dois botijões de gás sumiram. A invasão ocorreu pela porta da cozinha. As delegacias do Jaguaré e do Butantã, próximas à casa do cartunista, registraram 21.
http://madeinquadrinhos.blogspot.com Marvel decora stand em gincana escolar Família Simpson na moda Mauricio de Sousa diz não a aposentadoria Disney anuncia continuação de Os Vingadores
GIBITECA: ENCONTRO QUADRINHOS NA CIA (SP) http://gibitecacom.blogspot.com.br/ Como comemoração dos 3 anos do selo Quadrinhos na Cia, a Companhia das Letras organizou o II Encontro Quadrinhos na Cia, com participação de Art Spiegelman, de Maus, e sua esposa, a também artista e editora da revista New Yorker,Françoise Mouly. Françoise será entrevistada por Érico Assis na Livraria da Vila, no Shopping Pátio Higienópolis, em São Paulo, no dia 26 de maio, sábado, às 18 horas. Já Spiegelman terá uma sessão de autógrafos no dia 29 de maio, terça-feira, ao meio dia, na Livraria Cultura, no Conjunto Nacional, na Avenida Paulista. As senhas começarão a ser distribuídas às 9 horas.
Estapafúrdios Ursinhos Coloridos: "O novo super-herói de Fofópolis e outras histórias." HQ autobiográfica Adeus Tristeza será lançada neste mês pela Cia. das Letras
"Mães de Maio" autografando o livro "Do Luto à Luta" O projeto O Autor na Praça começou no dia 1º de Maio de 1999 e teve como primeiro convidado o dramaturgo e escritor Plínio Marcos, que se tornou padrinho do projeto e dá nome ao espaço onde acontece (tenda na feira de Artes da Praça Benedito Calixto), naquela ocasião Plínio autografou uma nova edição do livro “Querô – uma reportagem maldita”. Além de comemorar os 13 anos do projeto e do espaço Plínio Marcos, vamos manifestar nosso apoio ao movimento por justiça contra a violência policial ocorrida em maio de 2006, recebendo o Movimento “Mães de Maio”, em tarde de autógrafos do livro “Do Luto à Luta”, leituras e depoimentos. Contaremos também com a participação do Stand Raizarte, que reúne mulheres vendedoras da Revista OCAS e a presença do cartunista Gilmar, que recebeu o prêmio Vladimir Herzog em 2006 com a charge “Matou, Morreu” sobre o confronto entre a Polícia Militar e o PCC. Outras informações abaixo. O Autor na Praça celebra 13 anos e recebe as “Mães de Maio”. - Espaço Plínio Marcos – Tenda na Feira de Artes da Praça Benedito Calixto – Pinheiros Dia 19 de maio, sábado, a partir das 15h. (evento em espaço aberto ao público) - Informações: Edson Lima – 3739 0208 / 7105 0551 - edsonlima@oautornapraca.com.br Realização: Edson Lima & AAPBC. Apoio: AEUSP, Grupo Tortura Nunca Mais, Consulado Mineiro e O Cantinho Português. Os Crimes de Maio de 2006 podem ser definidos como uma matança decorrente da contra-ofensiva da polícia de São Paulo aos ataques da organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), em maio de 2006. De acordo com a própria Secretaria de Segurança Pública, o PCC foi responsável pela morte de 47 pessoas. No entanto, no período de 12 a 20 de maio, 493 pessoas foram assassinadas por armas de fogo, de acordo com informações do Conselho Regional de Medicina (Cremesp). Ou seja, os demais 446 assassinatos entraram para as estatísticas de crimes não esclarecidos. Há fortes indícios de que as mortes tenham sido praticadas por policiais em represália aos ataques do PCC. Os episódios teriam sido provocados por uma guerra entre bandidos e os agentes do Estado de São Paulo. Os policiais estavam sob o comando do então secretário de Segurança Pública, Saulo Abreu de Castro, que ordenou para todos os policiais saírem “à caça dos suspeitos”. Parentes das vítimas desses crimes iniciaram uma luta por justiça e para que esses crimes não caíssem no esquecimento. Nasceu assim o movimento Mães de Maio. Mães de Maio - É uma rede de Mães, Familiares e Amigos de vítimas da violência do Estado Brasileiro (principalmente da Polícia), formado aqui no estado de São Paulo a partir dos famigerados Crimes de Maio de 2006. Foi a partir da Dor e do Luto gerado pela perda de nossos filhos, familiares e amigos que nos encontramos, nos reunimos e passamos a caminhar juntas. “Nossa missão é lutar pela Verdade, pela Memória e por Justiça para todas as vítimas da violência contra a população Pobre, Negra, Indígena e contra os Movimentos Sociais brasileiros, de Ontem e de Hoje. Verdade e Justiça não apenas para os mortos e desaparecidos dos Crimes de Maio de 2006 ou dos Crimes de Abril de 2010, mas para todas as vítimas do massacre contínuo que o estado pratica historicamente no país. Nosso objetivo maior é construir, na Prática e na Luta, uma sociedade realmente Justa e Livre.” http://www.maesdemaio.blogspot.com.br
Ilustração do Livro por Latuff
Sobre o livro “Do Luto a Luta” – Lançado para lembrar os cinco anos dos crimes de Maio de 2006, apresenta relatos das mães, poesias e contribuições em forma de artigo sobre a luta em prol dos direitos humanos de organizações parceiras das Mães de Maio. Reúne textos de mães e familiares: Débora Maria (mãe de Edson Rogério), Ednalva Santos (mãe de Marcos), Vera de Freitas (mãe de Mateus), Francisco Gomes (pai de Paulo), Francilene Gomes (irmã de Paulo), Ângela Moraes (mãe de Murilo), Rita de Cássia (mãe de Rogério) e Flávia Gonzaga (mãe de Marcos Paulo). Traz também poesias de escritores periféricos: Sérgio Vaz (Cooperifa), Michel Yakini (Elo da Corrente), Sarau da Brasa, Marcelino Freire, Rodrigo Ciríaco (Cooperifa e Mesquiteiros), Poeta Dinha, Hélber Ladislau (Cooperifa), Rapper GOG (DF), Jairo Periafricania (Cooperifa) e Armando Santos (São Vicente-SP). Também inclui análises de outros parceiros, entre eles Luiz Inácio, membro do Fórum Estadual de Juventude Negra (Fejunes), que escreve sobre o extermínio da juventude negra no Espírito Santo. Os demais parcerios são Rede Contra a Violência (RJ), Alípio Freire, Danilo Dara, Jan Rocha, Lio Nzumbi (Reaja-BA), Sérgio Sérvulo e Tatiana Merlino. As Ilustrações ficaram por conta do artista-parceiro Carlos Latuff (RJ), e o Projeto Gráfico pela companheira-designer Silvana Martins (Sarau da Ademar). O livro foi apoiado e só poderia ter sido realizado com a importante força das compa-jornalistas Ali Rocha, Maria Frô e Rose Nogueira, além do apoio fundamental do Fundo Brasil de Direitos Humanos. Preço solidário: R$ 10,00 O stand Raizarte é uma livraria circular, que tem por objetivo de trazer um grupo de mulheres vendedoras da “Revista Ocas" e de outras literaturas para geração de renda de forma alternativa e autônoma. O Stand circula por festas, reuniões, eventos e faculdades levando a literatura e a informação para as pessoas, independente de adquirirem nosso material, porque além da venda nos importa informar e manter a comunicação, alegria e aproximação com todos, podendo também, nessa forma de trabalho, mostrar nossa arte. Gilmar - É cartunista, tem mais de 40 anos, publica seus desenhos em jornais, revistas e livros. É autor de cinco coletâneas de tiras, três delas adotadas pelo governo para distribuição em bibliotecas públicas. O livro mais recente: “Ocre - Quadrinhos não recomendáveis para pessoas românticas”. Recebeu o prêmio HQ MIX de melhor cartunista brasileiro e em 2006 conquistou o Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog com a Charge “Matou Morreu” sobre o enfrentamento da polícia e o PCC em 2006. Saiba mais: http://www.gilmaronline.zip.net