22 de nov de 2011

EXPO BLUSEIROS NO CARRIERO ESTUDIO - CAMPINAS SP

03/12 – Sábado
17:00h – Exposição de caricaturas:
“ Bluseiros” - De Fabiano Carriero e Bira Dantas.
Show com: Dokery Duo – Campinas/SP
Local: Carriero Estúdio – Av. Barão de Itapura, 2043 – Guanabara
http://carrieroart.blogspot.com/
(Entrada franca)


Foi um prazer ter sido convidado pelo Carriero a fazer parte dessa Expo de Blueseiros.
Primeiro: ela faz parte do Festival Autorock do meu (também) amigo e ilustrador Daniel ET.
Segundo: o convite veio do meu ex-aluno, parceiro de HQs e amigo Fabiano Carriero. Um grande e esforçado artista, que tem um presente singular e um futuro brilhante pela frente. Dividir as paredes com ele vai ser ótimo.
Terceiro: adoro ouvir Blues e caricaturar esses artistas tem sido uma constante em minha vida, desde que meu amigo Marcatti me apresentou o primeiro disco de vinil blueseiro que ouvi na vida: Muddy Waters!
Quarto: Paulo Gazela toca muuuuuito e vai ser uma honra compor o cenário de fundo do Dokery Duo!
Eu ja' expunha algumas caricaturas no Videoverso Bar&Locadora que montei com minha mulher Claudia Carezzato, em Campinas. Ao som de Robert Johnson, Snooks Eaglin, Muddy Waters e do Festival de Blues de Chicago. Isso nos idos de 1994. Mas a primeira exposição foi montada pelo Estudio Paulo Branco no Centro de Convivencia Cultural de Campinas, por volta de 1998.
Enviei algumas dessas caricaturas para o italiano Trasimeno Blues Cartoon Festival.
Em abril de 2009 na V. Pe. Manoel da Nóbrega, expus minhas caricaturas na Noite de Blues com Marcio Rocha (Song Brothers), na Casa de Cultura Tainã de Campinas.
No mesmo ano, acrescentei caricaturas de populares do Quarteirao do Soul em BH, e fiz parte das exposições do FIQ (Festival Internacional de Quadrinhos), no Centro Cultural Vila Marçola.
Em 2011, fui convidado com mais dois artistas croatas, Božidar Milinović e Vedran Žanko, a expor no Festival Internacional de Zagreb (Croacia), que teve a presença de Charlie Musselwhite e Big Daddy Wilson.

ALGUNS BLUE-CARICATURADOS
Furry Lewis

http://pt.wikipedia.org/wiki/Furry_Lewis
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
"(Walter E.) "Furry" Lewis (6 de Março de 1893 - 14 de Setembro de 1981) foi um guitarrista de blues natural de Memphis, Tennessee. Furry Lewis foi um dos primeiros músicos da velha guarda dos blues da década de 1920 a ser redescoberto pelo movimento revivalista folk e blues nos anos 60, levando-o a ver a sua carreira reaberta e valorizada.
O estilo blues de Furry é típico dos "Escritores de Canções" que operavam na zona de Memphis na década de 1920. Para estes autores o valor da canção está na história que é contada, havendo uma tendência destes intérpretes para suportar as suas palavras com hipnóticas e repetitivas sucessões de acordes com subtis prolongamentos do som dos mesmos. Furry Lewis gravou muitos sucessos no final da década de 1920 inclusive "Kassie Jones", Billy Lyons & Stack-O-Lee e Judge Harsh Blues (mais tarde chamada de Good morning judge).
Furry não ficou rico com o seu trabalho. Em 1962, contudo, suas canções foram regravadas pelo folclorista George Mitchell e sua sorte começou a mudar. A canção de Joni Mitchell, Furry Sings the Blues em seu álbum Hejira, é sobre Lewis e a música de Memphis que ele vivenciou no início dos anos 70. Antes dele morrer em 1981, Furry abriu por duas vezes a apresentação dos Rolling Stones, tocou no show Tonight de Johnny Carson e teve uam participação no filme de Burt Reynolds, uma justa homenagem para este grande músico de Blues."

ERIC CLAPTON


DIZZIE GILLESPIE

(Cheraw, 21 de outubro de 1917 — Englewood, 6 de janeiro de 1993) foi um trompetista, líder de orquestra, cantor e compositor de jazz, sendo, a par de Charlie Parker, uma das maiores figuras no desenvolvimento do movimento bebop no jazz moderno.
Nascido na Carolina do Sul, Dizzy era um instrumentista virtuoso e um improvisador dotado. A juntar às suas capacidades instrumentais, os seus óculos, a sua forma de cantar e tocar (com as bochechas extremamente inchadas), o seu trompete recurvo e a sua personalidade alegre faziam dele uma pessoa especial, dando um aspecto humano àquilo que muitos, incluindo alguns dos seus criadores, classificavam como música assustadora.
Em relação à forma de tocar, Gillespie construiu a sua interpretação a partir do estilo "saxofónico" de Roy Eldridge indo depois muito além deste. As suas marcas pessoais eram o seu trompete (com a campânula inclinada 45º em vez de ser a direito) e as suas bochechas inchadas (tradicionalmente os trompetistas são ensinados a não fazer “bochechas”).
Para além do seu trabalho com Parker, Dizzy Gillespie conduziu pequenos agrupamentos e big bands e aparecia frequentemente como solista com a Norman Granz's Jazz at the Philharmonic. No início da sua carreira tocou com Cab Calloway, que o despediu por tocar “música chinesa”, a lendária big band de Billy Eckstine deu a estas harmonias atípicas uma melhor cobertura.
Nos anos 1940, Gillespie liderou o movimento da música afro-cubana, trazendo elementos latinos e africanos para o jazz, e até para a música pop, em particular a salsa. Das suas numerosas composições destacam-se os clássicos do jazz "Manteca", "A Night in Tunisia", "Birk's Works", e "Con Alma".
Dizzy Gillespie publicou a sua autobiografia em 1979, To Be or not to Bop (ISBN 0306802368), e seria vítima de um cancer no início de 1993, sendo sepultado no Flushing Cemetery em Queens, Nova Iorque."
Tem uma estrela com o seu nome na Calçada da Fama em Hollywood, número 7057 Hollywood Boulevard.

JOHN HAMMOND JR


ESSA EXPO FAZ PARTE DO AUTOROCK 2011

Divulgada a programação da sexta edição do Festival Autorock, evento dedicado a cultura independente realizado anualmente na cidade de Campinas/SP.
Esse ano além das inumeras atrações músicais o festival também irá contar com exibições de vídeos, exposições e oficinas.
Confira no Cafe' Insonia a programação detalhada do festival:
http://cafeinsoniafilmes.wordpress.com/tag/bluseiros/

MINHAS CARICAS BLUESEIRAS FORAM EXPOSTAS EM CAMPINAS, BH E ZAGREB (CROACIA)
Eu ja' expunha algumas caricaturas no Videoverso Bar&Locadora que montei com minha mulher Claudia Carezzato, em Campinas. Ao som de Robert Johnson, Snooks Eaglin, Muddy Waters e do Festival de Blues de Chicago. Isso nos idos de 1994. Mas a primeira exposição foi montada pelo Estudio Paulo Branco no Centro de Convivencia Cultural de Campinas, por volta de 1998.

"CARICAS DE BLUES E JAM SESSION: BIRA DANTAS&MARCIO ROCHA" NO CIRCO DA CASA DE CULTURA TAINÃ, CAMPINAS SP
Em abril de 2009 na V. Pe. Manoel da Nóbrega, na Noite de Blues com Marcio Rocha (Song Brothers), Airton e convidados
http://www.taina.org.br
A Casa de Cultura Tainã é uma entidade cultural e social com a missão de possibilitar o acesso à informação, fortalecendo a prática da cidadania e a formação da identidade cultural, visando contribuir para a formação de indivíduos conscientes e atuantes na comunidade.

“MESTRES DO SOUL&BLUES” EM BH

No mesmo ano, acrescentei caricaturas de populares do Quarteirao do Soul em BH, e fiz parte das exposições do FIQ (Festival Internacional de Quadrinhos), no Centro Cultural Vila Marçola.
http://caricasdobira.blogspot.com/2009/09/caricas-de-blues-e-soul-pro-fiq-bh.html

"INTERNATIONAL ZAGREB BLUES FESTIVAL" CROACIA

http://www.bluesyou.com/hr_home.html
Em 2011, fui convidado com mais dois artistas croatas, Božidar Milinović e Vedran Žanko, a expor no Festival que teve a presença de Charlie Musselwhite e Big Daddy Wilson.
http://graffitv.blogspot.com/2011/09/bira-dantas-no-zagreb-blues-festival.html