24 de out de 2011

REUNIÃO DA AQC-ESP


(Worney Almeida de Souza)
Convidamos os interessados a participar da reunião da AQC-ESP.

Nesta quinta-feira
27/10/11
A partir das 18h30
Na livraria HQMIX
Praça Roosevelt, 142
Centro de São Paulo
Próximo do metrô República


PAUTA
1. Informes do Bicof (Coreia do Sul) com entrega do MOU (acordo de cooperação mutua assinado entre AQC e Associação dos Cartunistas e Animadores Coreanos) e do Cartucho (Encontro dos Cartunistas Gauchos), com entrega dos Quadrinhos Xiru (Byrata), Bobonecos (Bicio) e Quadrante X (Quadrinhos SA).
2. Preparação do 28° Angelo Agostini.
3. Publicação da revista “Picles” 01 (Dilma).


Se você não puder ir, envie sua sugestão através de nosso endereço eletrônico, todas as ideias são bem vindas.
produtoraculturalwaz@yahoo.com.br
Todos estão convidados!

RESPONDA A AQC
Deixamos as perguntas para a reflexão de todos e quem quiser tentar respondê-las é só enviar para nós por e-mail.
produtoraculturalwaz@yahoo.com.br
1-Quais são as editoras que publicam quadrinhos no Brasil?
2- Quais são as editoras que publicam quadrinhos nacionais no Brasil?
3- Quais são os pontos de venda de quadrinhos no Brasil? E onde se encontra as publicações nacionais?
4-Quais são as publicações nacionais que a Panini lança?
5-Como é a política de publicação das revistas dos estúdios de Maurício de Sousa?
6- As edições de Maurício de Sousa podem ser consideradas um padrão a seguir para os quadrinhos nacionais?
7- Porque as revistas de Maurício de Sousa vendem bem?
8- A política é de encher os locais de venda com as revistas de Maurício de Sousa?
9-Como é a edição de quadrinhos nacionais pelas editoras pequenas?
10-Como é a edição de quadrinhos independentes no Brasil? Quais são as tiragens e como é a distribuição?
11-A distribuição é o maior problema do quadrinho nacional?
12- Quais são as temáticas que os autores nacionais mais usam?
13-Como é a produção de quadrinhos de temática mangá no Brasil?
14-Quais são as perspectivas para o quadrinho nacional no próximo período?

BANCA DE QUADRINHOS NO FIQ

Felipe Meyer (Gasosa.net.br, Nunklaki.com.br e Casadeculturadigital.com.br):
"O projeto "Banca de Quadrinhos no FIQ" já ultrapassou 2/3 do prazo, mas infelizmente até agora só atingiu pouco mais de 10% da meta, o que anuncia um futuro não muito promissor para nossos planos. Então resolvi fazer um último pedido para que entrem em
http://catr.se/nVCm94
conheçam o projeto, dêem "curtir" no facebook e, pelamordedeus, apoiem o mesmo :)
Não se trata somente de ganhar uma viagem digrátis pra belrizonte, como alguns podem pensar. O programa Banca de Quadrinhos faz um trabalho super bacana, dedicado e sem muitas recompensas, divulgando o quadrinho nacional, que é uma das mídias mais marginalizadas nesse e em outros países e, paradoxalmente, também é uma das formas de arte mais democráticas que existem.
Pra ajudar a influenciar vocês, colo abaixo um textinho que também pode ser encontra na página do projeto no Catarse.
Lembrando: o Catarse é uma plataforma de crowdfunding, ou "financiamento colaborativo". Um projeto só é realizado se atingir a sua meta total no prazo previsto. Caso contrário, TODOS os seus apoiadores recebem o dinheiro de volta. Não há riscos. E você ainda desfruta de prêmios e recompensas bacanudas caso o projeto que apoiou se torne realidade.
Por que apoiar o projeto Banca de Quadrinhos no FIQ?

Recompensas!
Vamos começar com o mais óbvio e, pra alguns, o que mais interessa: as recompensas. Ao apoiar um projeto no Catarse, você não está fazendo uma doação, e sim o que chamamos de “micro-patrocínio”. Ou seja, uma mão lava a outra! Preparamos várias recompensas bacanas pros nossos apoiadores, incluindo aí HQs, pôsteres, camisetas e DVDs, além de duas oficinas pra quem estiver por São Paulo.
Cultura nerd na TV e na Internet
Quando foi a última vez que você viu uma matéria sobre quadrinhos na Globo? Ou leu uma crítica aprofundada de uma HQ no seu jornal local? Não estamos dizendo que a grande mídia não dá espaço para a cultura “nerd”, simplesmente que dá muito pouco (mas isso, felizmente, vem mudando bastante nos últimos anos). Com a Banca de Quadrinhos, você tem doses semanais de quadrinhos e cultura pop na TV e na internet, mérito compartilhado por pouquíssimos outros veículos brasileiros e dificilmente com o mesmo alcance.

De fã pra fã
Vai dizer se essa cena não é familiar: você está zapeando na frente da tevê e dá de cara com uma reportagem sobre aquele desenhista que adora ou sobre aquele seriado obscuro que todas as pessoas legais deviam conhecer. Mas o que devia ser uma surpresa agradável se torna um tormento quando a narração erra a história do cara, chama “mangá” de “desenhinho japonês” ou simplesmente percebe-se que o apresentador não faz ideia do que está falando. Isso é muito comum na grande mídia, que na correria de manter novas e novas pautas muitas vezes não pesquisa o suficiente sobre determinado assunto ou mesmo cai de pára-quedas em um evento de quadrinho ou cultura pop sem a menor preparação.
Com a galera que faz a Banca de Quadrinhos o buraco é bem mais embaixo:apresentadores e produtores são fãs e consumidores de quadrinhos, mangás, filmes, seriados, e testam tudo isso antes que qualquer pauta vá ao ar. Além disso frequentam os principais eventos “nerds” do Brasil e estão sempre em contato com artistas, editores e entusiastas nacionais e internacionais. É gente de cacife que não dá bola fora na hora de entrevistar o seu autor favorito.
Espaço pra todo mundo
A grande mídia, quando cobre eventos como o FIQ ou a Rio Comicon, não quer perder tempo. Há muita coisa acontecendo ao mesmo tempo, mas eles querem logo é entrevistar os dois ou três maiores nomes da festa, empacotar tudo e ir embora. Enquanto Globo e Record só tem olhos para Manaras e Mauricios de Sousa, e a Folha de São Paulo entrevista pela quinta vez os gêmeos Bá e Moon, grupos independentes e editoras menores, que suaram muito pra participar desses encontros e poderem mostrar também seu trabalho, acabam ficando de fora. Mas a Banca não discrimina ninguém, e acompanha o evento do início ao fim para mostrar o máximo possível de gente talentosa e suas obras. Na edição de 2009 do FIQ, por exemplo, entrevistamos autores independentes, fanzineiros, desenvolvedores de aplicativos para iPhone… bem como alguns dos grandes nomes internacionais convidados pela organização. Se você estiver na edição desse ano querendo vender o seu peixe, vem falar com a gente!

Trabalho reconhecido
A Banca de Quadrinhos foi indicada três vezes para o Troféu HQMix, a maior premiação dos quadrinhos brasileiros e considerada o “Oscar” tupiniquem da área. E todo ano acompanhamos a festa de pertinho, aproveitando a chance para colher depoimentos quentíssimos dos profissionais premiados.
Paixão pelo que fazemos!
A Banca de Quadrinhos não conta com o apoio de grandes patrocinadores nem tampouco recebe auxílio dos eventos que ajuda a divulgar. Mesmo assim, julgamos ser importante o trabalho que realizamos e temos grande paixão em fazê-lo, muitas vezes fazendo sacrifícios pessoais para estarmos presentes em eventos fora de São Paulo, onde o programa é gravado. É difícil nos derrubar!
Não é o bastante? Então assista ao vídeo do projeto e fique por dentro da cobertura que esperamos fazer esse ano, com o seu apoio. E aproveite para rever um pouco do que fizemos na edição passada do FIQ.
Só restam 10 dias para a realização ou não do projeto! Se você não apoiou ainda, clique logo em “Quero apoiar este projeto” e nos dê essa força. Isso pode inclusive incentivar outras pessoas que talvez estejam só esperando uma maior adesão para participarem também da empreitada."