18 de out de 2013

Quadrinho Nacional em LUTO

(por Bira Dantas)
O mês de outubro -mês em que se comemora o dia do professor- foi cruel com os Quadrinhos brasileiros. Perdemos dois de nossos grandes pesquisadores, os professores  Elydio dos Santos Neto (03/10/13) e Antonio Luis Cagnin (08/10/13) 
Elydo era formado em Filosofia e Pedagogia pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Lorena. Foi professor da Universidade Federal da Paraíba. Era extremamente reconhecido nas áreas da Pedagogia e Comunicação, e requisitado em pesquisas, palestras e oficinas de Quadrinhos. Escreveu muitos livros e artigos especializados no assunto como “História em Quadrinhos e Educação: formação e prática docente”. Outro deles “Os quadrinhos poético-filosóficos de Gazy Andraus: 25 anos de quadrinhos e fanzinato” pela editora paraibana Marca de Fantasia. Defendia -com ardor- o uso dos quadrinhos na educação, como em seu último livro, Histórias em Quadrinhos e Práticas Educativas. Participou das 2as Jornadas Internacionais de Histórias em QuadrinhosFazia parte do debate sobre a autonomia que rege o trabalho escolar: "O processo não é fácil, pois envolve sempre muitas pessoas com idéias e visões de mundo diferentes. Mas é a única maneira de construir uma identidade coletiva representativa". Elydio dos Santos Neto era diretor da Faculdade de Educação e Letras da Universidade Metodista (S. Bernardo do Campo).
O professor Cagnin sempre esteve presente no movimento em defesa do Quadrinho nacional. Também era figura constante no Troféu Angelo Agostini, promovido pela AQC. Inúmeras foram as vezes em que usou do microfone para promover o nome e a obra do pioneiro da Nona arte no Brasil. Condecorado com o Troféu Angelo Agostini de Mestre do Quadrinho Nacional em 2008, foi entrevistado pelo cartunista Marcio Baraldi no site Bigorna:
Reproduzimos abaixo os textos carinhosos da professora Sonia Bibe Luyten e do jornalista Jota Silvestre:
Sonia:
"Faleceu Antônio Luiz Cagnin o maior especialista mundial na vida e obra de Angelo Agostini. Fui curadora desta sua exposição na Embaixada Brasileira na Holanda onde mostrou que As Aventuras de Nhô Quim ou Impressões de Uma Viagem à Corte foi a primeira historia em quadrinhos lançada no Brasil e uma das mais antigas do mundo. Foi publicada na revista Vida Fluminense a 30 de janeiro de 1869 muito antes do que o Yellow Kid em 17 de fevereiro de 1895, antes considerada a primeira do mundo."
J. Silvestre:
"A triste notícia chegou por meio da página do Facebook de Sonia Bibe Luyten, também ela respeitada pesquisadora da Nona Arte.
Cagnin estava com 83 anos. É dele o primeiro estudo semiológico sobre a linguagem dos quadrinhos no País. Alguns pesquisadores o precederam – Moacy Cyrne, Álvaro de Moya, Zilda Augusta Anselmo e a própria Sonia Luyten – mas a diferença é que Cagnin lançou um olhar acadêmico sobre a estrutura narrativa dos quadrinhos, seus vários elementos e como eles se relacionam para contar uma história.
Sua tese, que teve como orientador ninguém menos que o escritor e crítico Antônio Cândido, virou o livro Os Quadrinhos, em 1975.
Cagnin introduziu a linguagem dos quadrinhos em suas aulas de Língua e Literatura Portuguesa; em 1984, ingressou no departamento de Cinema, Rádio e TV da Universidade de São Paulo e logo no primeiro ano assumiu a disciplina de Quadrinhos.
Em 1986, durante suas pesquisas, deparou-se com a obra de Angelo Agostini, considerado o precursor dos quadrinhos no Brasil e até, talvez, no mundo. A paixão e dedicação de Cagnin ao tema o tornaram o maior especialista brasileiro em Agostini.
Infelizmente, o professor partiu sem ter conseguido concretizar o projeto de reeditar Os Quadrinhos. O livro está esgotadíssimo e hoje é considerado item raro."
A AQC se solidariza com as famílias e reafirma a falta que os Mestres farão em nosso dia-a-dia.