9 de fev de 2012

DANIEL AZULAY EM SAMPA, LAERTE. STEINBERG, RAY COSTA E RICARDO CRUZEIRO


http://noticias.bol.uol.com.br/entretenimento/2012/02/08/famoso-nos-anos-80-daniel-azulay-faz-oficina-de-desenho-em-sp.jhtm
Ele teve programa de televisão e marcou a infância de muita gente nos anos 80. E agora está de volta. No próximo final de semana, Daniel Azulay vai fazer uma oficina de desenho para crianças e adultos.
Desenhista e músico, Azulay ficou famoso em programas de televisão. Entre suas criações, a Turma do Lambe-Lambe é uma das mais famosas. Tanto que saiu do papel e invadiu também a telinha.
Como o mundo do desenho mudou bastante desde que ele era famoso, Azulay vai ministrar as oficinas com a ajuda de computadores. Nas duas aulas, o tema será pintura digital.
Tratamento de imagem com personagens da Turma do Lambe-Lambe em 2D e 3D e ferramentas digitais, como filtros, curvas e efeitos vão ser o tema das oficinas.
PARA CONFERIR
Oficinas com Daniel Azulay
Quando: 11e 12/2, das 15h às 17h
Onde: Sesc Santo Amaro (rua Amador Bueno, 505; tel. 0/xx/11/5541-4000)
Quanto: grátis

LAERTE FALA DE STEINBERG

A herança de Steinberg – quatro perguntas para Laerte
http://blogdoims.uol.com.br/ims/a-heranca-de-steinberg-quatro-perguntas-para-laerte/
"A exposição As aventuras da linha, com obras do ilustrador norte-americano Saul Steinberg, ficou em cartaz na Pinacoteca do Estado. Steinberg, consagrado pelo traço minimalista, influenciou gerações de cartunistas e ilustradores com a sua perfeita equação de tempo, espaço e mensagem. No Brasil, onde foi publicada a primeira capa de revista de sua carreira, a Sombra (mais tarde ele se consagraria na The New Yorker), teve a obra apreciada e elementos de duas ilustrações diluídos nos trabalhos de cartunistas como Laerte Coutinho, colaborador do jornal Folha de S. Paulo, criador da série Piratas do Tietê, Muriel e mais recentemente a elogiada Manual do Minotauro. Laerte, de 60 anos, respondeu a quatro perguntas do blog do ims sobre Steinberg.
1. Qual é a medida de influência de Saul Steinberg na sua obra?
- Minha geração encontrou essa influência já presente no traço dos nossos mestres: Fortuna, Ziraldo, Millôr Fernandes, Zélio – o que amplia o efeito do contato direto com o trabalho de Steinberg. Ao mesmo tempo, bebemos muito na fonte do underground americano dos anos 60 e 70, que representa uma proposta estética quase oposta à concisão e à precisão dele.
2. Como aconteceu o seu contato com o traço de Steinberg?
- Foi por intermédio do Zélio [Alves Pinto, ilustrador, jornalista, cartunista, um dos fundadores de O Pasquim]. Eu frequentava o estúdio dele, que nos franqueava a rica biblioteca e nos ciceroneava pelo mundo da ilustração.
3. Se você tivesse de listar motivos para convencer alguém que pouco ou nada sabe a respeito da obra do ilustrador, quais seriam?
- Acho que procuraria mostrar como expressões gráficas modernas têm origem nas descobertas que ele fez. Pra falar a verdade, quanto mais eu vejo aparecer impresso sobre o seu trabalho, mais me convenço de que também sei pouco!
4. Um dos principais traços da obra de Steinberg é a objetividade e economia do traço. Para você que é cartunista, como é o trabalho para equacionar mensagem e espaço?
- Steinberg ensinou a trabalhar com o “branco”, a presença do vazio e do que não está mencionado expressamente, mas se exprime com clareza. Não sei medir essa lição dentro do meu trabalho. Com o tempo, a gente opera certas dinâmicas no automático – vai ficando nebulosa a relação com determinados aprendizados específicos."

RAY COSTA

http://raycosta.blogspot.com
Premiado em diversos salões de humor nacional e internacional, entre eles os mais significativos a XV Bienal Internacional Del Humor de Cuba (1° lugar / caricatura), o 14° Salão Nacional de Ribeirão Preto (1° Lugar/ Caricatura), Internacional Cartoon Contest-Kozuchowski Ósroder Kultury I Sportu "Zamek"-Polond- 2° LUGAR/CARTOON 34° salão Internacional de Humor de Piracicaba 2007(1° lugar/Caricatura) e o 34° Salão Internacional de Humor de Piracicaba 2007, Troféu Zélio de Ouro. Fui coordenador do projeto Sorrialengo, que desenvolve um trabalho um desenvolvimento sociocultural utilizando o desenho de humor junto a jovens carentes de vários Municípios do Rio de Janeiro. Além do Sorilanego, coordenei o Festimenc – Festival Internacional de Menções Honrosa.

RICARDO CRUZEIRO

http://ricardo-cruzeiro.blogspot.com/
Este espaço é destinado à catalogação não-linear das obras do artista plástico Ricardo Cruzeiro, com explanações e comentários feitos pelo próprio autor. Criado em 06 de novembro de 2009, este blog pretende realizar um levantamento de toda a produção do artista. Se você é proprietário de alguma obra de Ricardo Cruzeiro, gentileza entrar em contato pelo e-mail ricardo.cruzeiro@gmail.com. Nenhuma das imagens postadas neste blog podem ser utilizadas para quaisquer fins, sem a expressa autorização do autor, segundo a Lei de Direitos Autorais.